A Pessoa Errada


Pensando bem em tudo o que a gente vê e vivencia
e ouve e pensa, não existe uma pessoa certa pra gente.
Existe uma pessoa que se você for parar pra pensar é, na verdade, a pessoa errada.
Porque a pessoa certa faz tudo certinho!
Chega na hora certa, fala as coisas certas,faz as coisas certas, mas nem sempre a gente tá precisando das coisas certas.
Aí é a hora de procurar a pessoa errada.
A pessoa errada te faz perder a cabeça, perder a hora, morrer de amor... A pessoa errada vai ficar um dia sem te procurar que é pra na hora que vocês se encontrarem a entrega ser muito mais verdadeira.
A pessoa errada, é na verdade, aquilo que a gente chama de pessoa certa.
Essa pessoa vai te fazer chorar, mas uma hora depois vai estar enxugando suas lágrimas.
Essa pessoa vai tirar seu sono.
Essa pessoa talvez te magoe e depois te enche de mimos pedindo seu perdão.
Essa pessoa pode não estar 100% do tempo ao seu lado, mas vai estar 100% da vida dela esperando você.
Vai estar o tempo todo pensando em você.
A pessoa errada tem que aparecer pra todo mundo, porque a vida não é certa.
Nada aqui é certo!
O que é certo mesmo, é que temos que viver cada momento, cada segundo, amando, sorrindo, chorando, emocionando, pensando, agindo, querendo,conseguindo...
E só assim, é possível chegar àquele momento do dia em que a gente diz: "Graças à Deus deu tudo certo"
Quando na verdade, tudo o que Ele quer é que a gente encontre a pessoa errada pra que as coisas comecem a realmente funcionar direito pra
gente...


Luis Fernando Veríssimo

Medo :S



Sabe quando você se vê a beira da loucura? Passa tanta coisa na sua cabeça como um filmezinho, mas um filmezinho nada convencional, de longe hollywoodiano, mas sim aqueles em que a mocinha da história sofre e vai pra um sanatório? Então... se eu fosse a mocinha da história esse seria o meu fim, mas o meu tá mais para a faxineira do sanatório, que vê a loucura presente em tudo, mas tenta manter a sua sanidade. Só que parece que eu já não estou conseguindo mais.
Dá vontade de chorar, de gritar... de... de... de ser uma nerd ¬¬
Aí a gente começa a lembrar daquele tempo em que não havia preocupações, que eu chegava em casa depois da escola, almoçava, deitava no sofá e babava de tanto dormir. Acordava toda mole e ficava vegetando no sofá até começar malhação. Aí eu ia pra cozinha comer alguma coisa e depois pro quarto terminar o dia vegetando. Ou mesmo daquele tempo em que agente corria pela rua, sem se preocupar se daque há dois minutos vai estar no chão, toda ralada e feia. Sem se preocupar em vestir uma fantasia esquisita de anjo só porque você gosta, e as pessoas ainda falarem "nossa, que menina mais linda!" mesmo que você não tenha penteado os cabelos a semana inteira e esteja sem os dois dentes da frente.
Acho que eu estou é com medo. Porque eu sei que a minha vida no final do ano vai mudar terrivelmente, e eu como uma boa taurina, odeio mudanças. Ou talvez o medo seja porque não vai mudar muita coisas. Todos os meus colegas estarão entrando numa faculdade morando fora e eu estarei indo para o cursinho tentar a sorte mais uma vez. Ou quem sabe, seja o contrario; eu esteja abandonada numa cidade que não conheço ninguém nem saiba aonde são os melhores lugares para sair.
Dá medo, sabe? Não sei se é melhor ficar ou ir. (na verdade eu sei que o melhor é ir, mas aí é que tá, uma parte de mim quer ficar, sabe? Aquela parte que bombeia todo o sangue do seu corpo? Aquela parte que fica lá na sua nobre sístole e diástole)
Me dá medo, queria estar na quinta série novamente e, ao invés de estar agora me despedindo dos meus colegas que convivo ha 7 anos estaria encontrando-os. E por mais que eu não me encontre naquela escola, acha mais da metade um bando de idiotas, e a outra metade eu não dê muita importância, e todo o resto não faça a mínima idéia de quem eu sou realmente e só vêm conversar comigo na hora da prova pra pedir cola, eu vou sentir saudade. Porque é lá que passo todas as minhas manhãs, e apesar de tudo dou risada pra caramba.
Eu sofro por antecipação, e quando alguma coisa me aflinge leva tudo junto, eu sofro em todos os ângulos (ou pelo menos finjo que sofro, já que tudo é psicológico mesmo) entro em crise existencial e viro incrédula (até Paranoid parece uma música legal e verdadeira agora)
Mas o que importa mesmo é que amanhã já vai estar tudo bem, porque eu sou assim mesmo. E amanhã eu vou ser bonita sem nem mesmo ter penteado o cabelo e vou me sentir a mais inteligente das mulheres mesmo tirando um zero na prova de física. E amanhã, vou me odiar por ter colocado este post publico e vou deleta-lo. Sabe porquê? Porque eu tenho medo.


cambio desligo!
E você aí no fundo, faça o favor de tirar os pés da mesa ¬¬

Lorena Borges